Liberty Silver - Moedas de Prata sem IVA

Liberty_Silver_PT

Facebook BI

Quinta-Feira,�14 deNovembro,�2019

Eleições

cesarneves_Destak

por João César das Neves*

Na longa história da democracia fictícia, os últimos meses desceram mais um nível. No final do ano passado renovou-se uma forma rara dos ditadores resolverem as dificuldades das eleições.

Temos tido campanhas distorcidas, intimidação da oposição, compra de votos, manipulação de resultados, fraudes eleitorais. O que é bastante mais estranho é um presidente, no poder há dez anos com uma guerra civil, perder as eleições, não ligar e manter-se no cargo.

A Constituição da Costa do Marfim impõe um limite de dez anos para o mandato presidencial. Além disso, o candidato oposicionista Alassane Ouattara teve 54,1% dos votos. Apesar disso o presidente Laurent Gbagbo não cedeu o cargo e mantém-se desafiador.

A pressão internacional, sobretudo do Ocidente, tem forçado muitas ditaduras, tiranias e regimes musculados a adoptarem uma camuflagem democrática. Toda a gente sabe que se trata de ficção e a comunidade internacional até in-ventou a figura do observador para medir o grau de aldrabice, escolhendo tolerar as fraudes moderadas.

Isto, em si mesmo, é uma coisa boa. Se alguém é ditador, ao menos tenha a vergonha de o negar e pretender legitimidade. Fingir aceitar a hegemonia da vontade popular e dar-se ao trabalho de a manipular é melhor que um autoritarismo descarado. O insólito desplante de Gbagbo arrisca-se a destruir estes pequenos avanços.

 

Este endereço de e-mail está protegido de spam bots, pelo que necessita do Javascript activado para o visualizar


*João César das Neves é professor na Faculdade de Ciências Económicas e Empresariais (FCEE) da Universidade Católica Portuguesa em Lisboa.

 

Publicado no Destak dia 20 de Janeiro 2011

 

 

 

Comentários (0)

Subscrever RSS deste comentário.

Exibir/Ocultar comentários.

Escreva um comentário.


busy

AVISO: A informação contida neste website foi obtida de fontes consideradas credíveis, contudo não há garantia da sua exactidão. As opiniões aqui expressas são-no a titulo exclusivamente pessoal. Devido à variação dos objectivos de investimento individuais, este conteúdo não deve ser interpretado como conselhos para as necessidades particulares do leitor. As opinões expressas aqui são parte da nossa opinião nesta data e são sujeitas a alteração sem aviso. Qualquer acção resultante da utilização da leitura deste comentário independente do mercado, é da exclusiva responsabilidade do leitor.