Facebook BI

Quinta-Feira,�21 deSetembro,�2017
Ouro a 1.000 euros - NL BonsInvestimentos Junho 2010

Newsletter BonsInvestimentos.com
Revelando os Bons Investimentos nos mercados financeiros

Vol. 6 - Edição 6
Junho de 2010

As Bolsas em Maio 2010

Os índices bolsistas dos EUA terminaram o mês de Maio com a maior perda desde Fevereiro de 2009. O Dow Jones terminou nos 10.137 pontos, a perder 7,9%  no mês.  O Standard & Poors 500 fechou nos 1.089 pontos, uma declínio mensal de 8,2%. O Nasdaq encerrou nos 2.257 pontos, uma queda de 8,3% em Maio, o seu pior mês desde Novembro de 2008.

O PSI-20 terminou o mês a cair, ficando nos 7.022 pontos. Apresentou uma queda de 4,54% no mês.

No Brasil o Bovespa fechou nos 63.046 pontos. O indicador acumulou uma queda no mês de 6,63%.

taxasjun10

Os bancos centrais estão a aguentar as taxas de juro que reduziram aos minimos de décadas para tentar enfrentar a crise. A Reserva Federal Americana, tem a taxa dos fundos federais nos 0,25%. O BCE tem a taxa de juro em 1%. Segundo a minha análise a margem de manobra nas taxas está esgotada, a partir daqui a tendência é de subida provavelmente a ter início já no segundo semestre de 2010.

djiaJun10

SpxJun10

NasJun10

PSI20Jun10

 

 

The Big Picture - Junho 2010


Os índices bolsistas corrigiram fortemente em Maio. A tragédia Grega continua. O euro em mínimos multianuais.

Desde 2002 que temos recomendado a compra de Ouro, tem sido o único activo a subir consistentemente nos últimos 10 anos e também nos últimos meses e semanas.

O Ouro em Maio passou os 1.000 euros por onça.



A tragédia Grega continua com o FMI e outros a lançarem ajudas não só à Grécia como a todos os PIIGS.

A Inglaterra recusou-se a contribuir porque também está falida, os EUA emprestaram. A Grécia está a rolar a sua dívida antiga para aguentar os bancos. Já Espanha, Portugal, Irlanda e Itália estão a tentar fazer o mesmo. Os outros países da zona euro perguntam-se para quê ajudar estes países, para eles salvarem os seus bancos.

O crescimento anualizado nos EUA é agora de apenas 1,3% tendo caído dos 6,5% no quarto trimestre do ano passado. Para haver sequer uma recuperação dos niveis anteriores, o crescimento teria de ser bem superior.

O indíce do dólar americano no final do ano passado estava a lutar com minimos nos 74 pontos. A crise no euro foi muito conveniente e rápida. Deste Outubro do ano passado que grandes bancos em Nova Iorque estavam a acumular dólares, porque sabiam o que se ia passar.

Está-se a criar dinheiro do ar, para emprestar à Grécia e salvar os bancos europeus. Tanto o Banco Central Europeu como a Fed americana estão a criar ainda mais moeda. Os contribuintes é que pagam.

E com tudo isto, o preço do Ouro continua a subir. Há vários factores que estão a ajudar. Já se fala que no mercado negro na Grécia se está a transaccionar Ouro 40% acima da sua cotação.

 

É interessante observar também que o downgrade pela Fitch no dia 28 de Maio do rating de crédito de Espanha, de AAA para AA+, foi feito numa sexta feira, após o fecho das bolsas europeias e na véspera de um fim de semana prolongado em Inglaterra e nos EUA. Demasiadas coincidências.

A divida soberana é agora o novo subprime. Podemos assistir a um efeito dominó, com os juros das obrigações dos países mais fracos a afectarem os países europeus mais fortes e aos EUA e Inglaterra. Continuando assim o problema vai-se espalhar por todo o mundo.

 

Os Mercados Cambiais em Maio de 2010


Em Maio o indíce do dólar americano, que representa um cabaz de seis moedas, fechou a subir por volta dos 86,518 pontos. Este foi o sexto mês de ganhos.

O Euro terminou por volta dos $1,2322. A moeda da União Europeia, registou uma perda de 7,6% em Maio face à moeda verde.


O iene japonês fechou por volta dos 90,91 face ao dólar. Ganhou 0,6% no mês.
A moeda americana está em declínio e nos próximos anos vai deixar de ser a moeda de referência mundial. O indíce do dólar está por volta dos 86 pontos numa recuperação técnica desde Dezembro de 2009. O dólar americano restá num rally de contra ciclo no curto / médio prazo, segundo a minha análise a tendência de queda a médio e longo prazo mantem-se.

 

USDJun10

XeuJun10

 

Mais informações sobre os mercados cambiais em: Colapso do Dólar

 

Metais Preciosos em Maio de 2010


O Ouro e a Prata fecharam o mês a subir.


A Platina para entrega em Julho fechou nos $1.549,40 por onça, o preço mensal caiu 11%.

O Cobre para entrega em Julho fechou nos $3,10 por libra, perderam 7% no mês.

O Paládio para entrega em Junho terminou nos $461,85 por onça, o declínio em Maio foi de 17%.

Os metais preciosos podem pontualmente assustar os investidores tanto como entusiasmam, mas segundo a minha análise a tendência de médio e longo prazo é de subida.

 

Mais informação sobre o Ouro e Prata em: Entrevista GATA

 

O contrato de Ouro para entrega em Agosto na divisão Comex da New York Mercantile Exchange, terminou o mês nos $1215 por onça. Os futuros acabaram a subir 3% em Maio, após um ganho de 6% em Abril.

A minha análise aponta para o Ouro acima dos $2000 por onça nos próximos 12 meses. Quando este price target for ultrapassado o Ouro poderá dirigir-se a médio prazo para cima dos $2500 por onça.

GoldJun10

Mais informações sobre a ascensão do Ouro em: Venderam-se os Anéis

 

A Prata para entrega em Julho, terminou nos $18,42 por onça. Em Maio caiu 1,1%.

A minha análise aponta para a Prata acima dos $22 por onça nos próximos 12 meses. Quando este price target for ultrapassado a Prata irá dirigir-se no médio prazo para cima dos $50 por onça.

SilverJun10

 

Mais informações sobre a ascensão da Prata em: A Prata vai ser Ouro

 

A Energia em Maio de 2010


O preço do Petróleo crude West Texas na New York Mercantile Exchange para entrega em Julho fechou o mês  nos $73,97 por barril. Em Maio perdeu 14%, o seu pior mês desde Dezembro de 2008.


A curto prazo, o preço do Petróleo está consolidar as subidas dos últimos meses estando a transaccionar numa banda. Considero que nos próximos 12 meses pode passar novamente os $100, sendo que nos próximos 24 meses podem ser atingidos novos máximos de sempre e que o crude está numa tendência de subida a longo prazo.

WticJun10

O contrato de Gás Natural para entrega em Julho fechou nos $4,34 por milhões de BTUs (British Thermal Units) na Nymex. No mês fechou a ganhar.

Segundo a minha análise a médio e longo prazo a tendência do Gás Natural é de subida. Em 2010 o Gás Natural poderá transaccionar novamente acima dos $6 por BTU.

NatgasJun10

 

 

 

Análise Técnica NASDAQ 100 - O repouso do Urso!‏


por Tiago Marques Pereira, CMT

Analista Técnico

Membro da MTA -Associação de Técnicos de Mercado Norte Americana (New York,USA)


O Nasdaq 100 esta semana subiu 1.6% fechando nos 1852.19 pontos. Por agora e tendo em linha de conta a última análise efectuada(09-05-10), o NASDAQ fez exactamente TUDO o que foi descrito constituindo a mesma para os mais atentos um verdadeiro mapa da mina!!

Reagiu em alta até ás principais zonas de resistência descritas(1940-1970 na última análise) e depois caiu até ás principais zonas de suporte(1750-1800) num range de grande volatilidade e predomínio das quedas. Até a possibilidade forte de aguentar a zona dos 1750 e aí reagir esteve prevista e assim aconteceu. Deste modo é natural que continue a ver a zona dos 1750 como zona de suporte. Pelo menos enquanto aguentar as investidas dos ursos.

 

ndxJun10

(clicar no gráfico para ver versão grande)

 

Tecnicamente temos vários sinais(bull) de inversão de curto prazo(técnicas japonesas, linha TA do BARRT*, média de 200 dias exp, entre outros.) em importante zona de suporte. Juntamos a isso algumas divergências positivas e agora sim com os indicadores oscilatórios esgotados e em situação oversold. Este indicadores e sinais avançados pressupõe que os 1750 pontos mesmo que testados novamente possam servir de forte suporte de curto prazo. Enquanto os mínimos dos 1712 pontos feitos em Fevereiro aguentarem, a tendência de subida que vem de Março de 2009 ainda não inverteu oficialmente. No  médio prazo(3 meses) está lateral e curto prazo(1 mês) está em queda mas a tentar inverter, para tal é preciso que aguente a próxima correcção acima de 1752 (de preferência que aguente os 1800 em fecho)e depois venha acima de 1870. Na eventualidade de continuação das quedas poderemos rapidamente ver o NASDAQ 100 a atingir o seu próximo target em baixa nos 1650 pontos, que não entrando em panic selling pode ser que sirvam de nova pausa ás quedas.

Analisando a volatilidade implícita(tendencia de subida) e o padrão de volume(fraco nas subidas e fortíssimo nas quedas) dão prevalência a uma continuação das quedas no médio prazo(e talvez mesmo no curto). E qualquer tentativa de inversão das quedas no curto prazo deve ser vista novamente como subidas fortes mas de pouca dura. Assim sendo e numa óptica de trading devem-se usar stops em todos os set ups de compra(stop losses e trailling stops). Em alta as resistências são agora imensas e será pela forma que nelas falhe ou ultrapasse a cada momento que ditará o retorno mais ou menos rápido ás quedas.

É possível que o NASDAQ 100 continue a reagir positivamente nesta zona dos 1750/1800, não espero contudo que o Mercado faça novos máximos acima de 2060, achando que estas subidas podem ser negociadas, mas que continuam a ser sempre boas oportunidades de venda. Uma vez que o Mercado esgote a força compradora , as quedas a meu ver podem tomar conta do curto, médio e longo prazo. E não se iludam muito com as recentes subidas...porque o nosso amigo URSO acorda sempre quando menos se espera e desta vez poderá ser com muita violência!!

Resistências: 1870/90; 1910/20; 1945; 2000; 2031; 2050.

Suportes: 1800; 1750; 1650; 1450

*bump and run reversal top

Bons trades!!

Tiago Marques Pereira

 

----Adicionalmente, qualquer informação sobre valores mobiliários não deve, em circuntância alguma, ser entendida como constituíndo por si só uma ordem de venda, compra ou qualquer outra estratégia de investimento, e são transmitidas com base em informação disponível para o público em geral e recolhida de fontes consideradas de confiança. Tratando-se ainda de informação resultado da análise e conclusões do autor, disponibilizada com o objectivo único de constribuir para o esclarecimento das tomadas de decisões de investimento a efectuar directamente pelos investidores

AVISO: A informação contida neste website foi obtida de fontes consideradas credíveis, contudo não há garantia da sua exactidão. As opiniões aqui expressas são-no a titulo exclusivamente pessoal. Devido à variação dos objectivos de investimento individuais, este conteúdo não deve ser interpretado como conselhos para as necessidades particulares do leitor. As opinões expressas aqui são parte da nossa opinião nesta data e são sujeitas a alteração sem aviso. Qualquer acção resultante da utilização da leitura deste comentário independente do mercado, é da exclusiva responsabilidade do leitor.